13 de novembro de 2014

Gema/UFPE e PAPAI realizam ações da campanha “Machismo não combina com saúde”

Neste mês em que o governo brasileiro divulga o “novembro azul”, como estratégia para chamar atenção para os agravos à saúde do homem, o Gema/UFPE, o Instituto PAPAI e outros grupos e organizações que integram a Rede de Homens pela Equidade de Gênero (RHEG), promovem ações da Campanha “Machismo não combina com saúde”, a partir de
leituras críticas, baseadas em princípios feministas, sobre a atenção integral à saúde do homem, em nosso país.

Neste ano, a ação principal da Campanha, em Recife, acontecerá no dia 19 de novembro de 2011, a partir das 7 horas na manhã, no Terminal de Integração de ônibus do bairro da Macaxeira. Neste ato público, integrantes do Gema/UFPE e do PAPAI distribuirão materiais alusivos à campanha, tais como folhetos, cartazes e adesivos.

Conheça o vídeo da nossa campanha:



SOBRE A CAMPANHA
Sabemos que os homens adoecem e morrem, na maioria das vezes, porque reproduzem a expectativa cultural que diz que “ser homem” é ser naturalmente violento e que riscos devem ser enfrentados e não prevenidos ou evitados. Assim, os homens costumam procurar os serviços de saúde quando estão em situação mais graves. Baseados nas mesmas crenças sobre “invulnerabilidade” masculina, os profissionais de saúde, especialmente no contexto da atenção básica, muitas vezes ignoram que os homens também tem necessidades e demandas e precisam de atenção em saúde. Além disso, os homens são aqueles que mais morrem e mais agridem e matam. No dicionário tradicional de gênero, violência parece sinônimo de masculinidade.

Diante deste panorama, o objetivo desta campanha é um debate público amplo e crítico sobre a saúde dos homens, tendo em vista que, por um lado, saúde e prevenção são consideradas em nossa sociedade como atribuições e cuidados e responsabilidades exclusivamente femininas, e por outro, que os homens em geral ainda não são pensados como público de campanhas e ações públicas da saúde, especialmente no contexto da atenção básica.

Vale a pena conhecer a posição de nossos grupos e instituições por um calendário lilás (nem azul, nem rosa), como deseja o feminismo, em defesa de uma Política Integral de Atenção aos Homens na Saúde baseada em princípios feministas, em carta lançada em 2013:
http://gema-ufpe.blogspot.in/2013/11/por-um-calendario-lilas.html


CONTATO:

Tulio Quirino e Ana Luisa Cataldo (Gema/UFPE)
9807.0148 ou 9764.0324

Mariana Azevedo e Sirley Vieira (PAPAI)
9809.9633 ou 8255.1627