10 de junho de 2014

Homens impedidos de estar presentes no parto do seu filho. Compartilhe seu relato!

O Instituto PAPAI e o Gema/UFPE estão colhendo, até 15 de julho, depoimentos de homens que foram impedidos no Brasil de acompanhar sua esposa ou companheira no trabalho de parto. Esses relatos visam subsidiar ações da Campanha “Pai não é visita!”, que acontecem especialmente na semana do dia dos pais, momento oportuno para um debate público sobre cuidado e direitos reprodutivos.

Para enviar seu depoimento, clique no link abaixo:



Sobre a campanha

Toda mulher tem direito a ter a presença do pai durante todo o trabalho de parto. Esse direito é garantido pela Lei do Acompanhante (11.108/2005). Porém, infelizmente, ainda são frequentes casos de descumprimentos dessa lei e, muitas vezes, o pai é impedido de acompanhar o parto.

Esta campanha focaliza assim o direito do pai ser reconhecido como parceiro e não como visita ou personagem ausente na cena do parto. Se você conhece alguma experiência de não garantia do direito ao/à acompanhante, compartilhe conosco!

Esta a ação faz parte da “Campanha Pai não é visita! Pelo direito de ser acompanhante” e tem o objetivo de recolher depoimentos para elaboração de um relatório com denúncias sobre esse tipo de problema e sugestões para o Ministério Público de Pernambuco.

Por favor, divulguem em suas redes sociais e lista de e-mails para que possamos ter uma boa amostragem de relatos e com isso potencializar nossos argumentos e o impacto de nossas reivindicações.